27 de maio de 2020

Aperfeiçoamento profissional em tempos de pandemia

Olá, leitoras queridas.

Como vocês estão nessa quarentena de pandemia? Espero que estejam se cuidando, mantendo as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde): ficando em casa (para quem pode), usando máscara ao sair e higienizando as mãos com álcool em gel ou, água e sabão. Que período desafiador esse ano de 2020 está se mostrando! O Covid-19 veio para fazer o mundo refletir sobre inúmeros aspectos e mudou drasticamente a forma como vivemos, não é verdade? Manter o isolamento social obrigou as pessoas, entre outras coisas, a conectar-se ainda mais na internet.

quarentena
Fonte: Pinterest

O homeoffice (trabalho em casa) e o ensino virtualizado (ou EaD - ensino a distância) ganharam a adesão das pessoas que tem acesso a essa tecnologia em casa. No Brasil, esse cenário de crise sanitária trouxe a superfície das discussões um problema conhecido de sempre: a desigualdade social, dessa vez revelada pela falta de inclusão digital de grande parte da população do país. Mas, esse assunto dá outro post imenso...

Hoje eu venho falar com você, privilegiada, que tem acesso a tecnologia da informação (TI) e quer fazer bom uso dela. Você pode usar esse período de quarentena pra se aperfeiçoar profissionalmente e ter um currículo diferenciado quando tudo isso passar. Trago aqui algumas plataformas que disponibilizaram cursos gratuitos.

#SENAC
aperfeiçoamento profissional
Fonte: Pinterest
O SENAC liberou diversos cursos na modalidade Ead, inclusive com certificado. Dentre as áreas dos cursos gratuitos temos: 
  • Meio Ambiente e Saúde;
  • Gestão e Negócios;
  • Tecnologia da Informação e Comunicação;
  • Turismo, Hospitalidade e Lazer.
Para ter acesso a mais informações dos cursos gratuitos do SENAC e fazer a inscrição clique AQUI.

#SENAI
Outro órgão que liberou acesso gratuito a cursos EaD foi o SENAI. Entre as áreas ofertadas estão:
  • Finanças pessoais;
  • Fundamentos de logística;
  • Lógica de programação;
  • Noções básicas de mecânica automotiva;
  • Segurança no trabalho.
Se você se interessou em algum desses, clique AQUI para ir ao site de inscrição.

#Udemy
A Udemy é uma das maiores plataformas para cursos online que eu conheço. As aulas são feitas por profissionais independentes que hospedam seu conteúdo por lá. Agora na pandemia, eles disponibilizaram cursos gratuitos em várias áreas, principalmente de informática. Se quiser ver a lista, clique AQUI.

#Coursera
Essa dica é para as meninas que estão no ensino superior ou pós-graduação. A Coursera é uma plataforma que reúne cursos de Universidades e Empresas do mundo inteiro. Geralmente os cursos são na língua inglesa, o que eu vejo como positivo, pois ainda pode ajudar você a desenvolver essa habilidade. Você pode acessar a plataforma clicando AQUI.

#IFRS
Se, por outro lado, você é uma leitora que ainda está cursando o ensino médio ou estudando pra fazer as provas do ENEM, eu recomendo as aulas de Ciências Exatas e Ciências Humanas, além de muitas outras que eles disponibilizaram AQUI.

Bom, eram essas plataformas gratuitas que eu queria apresentar para vocês. Espero que tenha sido útil! Ficarei feliz se você puder indicar para alguma amiga que também está buscando se aperfeiçoar profissionalmente nessa quarentena. Lembre-se: juntas somos mais fortes!

23 de abril de 2019

Resenha do livro: Aprendizados (Gisele Bundchen)

Olá minhas queridas,

livro Gisele
Imagem reproduzida do Instagram @Gisele
Estamos acostumados a ver a brasileira Gisele Bundchen como modelo de beleza internacional. De fato, o seu rosto estampou capa das revistas mais famosas do mundo, como a Vogue, e seu corpo carregou roupas de estilistas renomados nas passarelas, dentre eles: Marc Jacobs, Donna Karan, Calvin Klein, Christian Dior, Prada, Valentino, Versace e Victoria's Secrets. Porém há um lado de Gisele que poucos conhecem e que ela resolveu contar em seu livro: Aprendizados.

# Modelo: um corpo sem voz

Uma das reflexões que Gisele traz a tona em seu livro é como o mundo da moda é superficial: apesar de dar visibilidade a imagem da modelo, apaga totalmente a sua opinião. Ou seja, a mulher é vista apenas como um corpo, um objeto de desejo. Segundo ela:
"Por 23 anos, também fui uma imagem sem voz. Tenho isso em comum com muitas mulheres. Quantas vezes nos passaram a mensagem de que nossas vozes não valiam a pena ser ouvidas, seja quando somos ignoradas numa reunião, ou criticadas nas redes sociais, ou reduzidas a um conjunto de partes corporais? [...] nada é mais estranho do que ser o objeto das projeções de outras pessoas. Ser conhecida e ao mesmo tempo desconhecida já não me parece certo."

#A competição no mercado de trabalho


Aprendizados
Assim como em qualquer profissão, o mercado de trabalho de modelos é um ambiente bastante competitivo, e muitas vezes desonesto. Certamente, você conhece alguma história de pessoas próximas que sofreram traições ou boicotes no ambiente de trabalho, apenas por fazer seu trabalho bem feito e se destacar. Com Bundchen não foi diferente, ela conta:
"Quando se atinge certo patamar como modelo, as pessoas nem sempre ficam felizes por você. É um ramo competitivo e cheio de inseguranças. Mais de uma vez chegava a um desfile e descobria que alguém tinha trocado meus sapatos por outros de tamanho muito maior, ou outras vezes meu salto simplesmente do nada quebrava no meio da passarela, me forçando a caminhar na ponta dos pés, ou as tiras da sandália arrebentavam — mas eu sorria e continuava a desfilar da melhor maneira possível, sem dar bola ao que as pessoas faziam para me prejudicar."

#Disciplina

livro Aprendizados
Imagens reproduzidas da internet
Gisele Bundchen atribui seu sucesso profissional à disciplina que teve desde os 14 anos, quando saiu de casa para morar sozinha longe de sua família. Ter clareza no objetivo, foco, dedicação e humildade foram características descritas por ela como primordiais para chegar ao patamar que ela está.
"O que pode preparar uma pessoa para algo dessa magnitude? Não há manual. Não há regras. Você apenas vai lá e faz o seu melhor. Deixa seus medos de lado. Você se convence de que nada vai deter você. Uma noite como aquela (se referindo a sua apresentação no Rock in Rio, diante de mais de 100 mil pessoas) não é diferente de nenhuma montanha que você sabe que precisa escalar, então amarra os cadarços das botas e começa a subir. Aprende com a experiência. Quando surge a próxima montanha, você está um pouco melhor, um pouco mais preparado, tem mais prática para caminhar até o topo. É assim que a disciplina tem me servido durante toda a minha vida. Ela me ajudou não só a realizar o que me propus a fazer, mas também a perceber como posso fazer mais. Basta eu ter fé, acreditar em mim e ir em busca do que quero."

#Ataques de pânico

livro yoga
Imagem reproduzida do Instagram @Gisele
A ansiedade é talvez uma das doenças psicológicas mais difíceis de se lidar. Ela gera ataques de pânico, que podem manifestar sensações físicas como falta de ar, tremores, sudorese, dor no peito e tantas outras reações. É cada vez mais comum escutarmos relatos de pessoas que sofrem com isso, eu mesma (Vanessa) já me senti assim e digo com total certeza: é uma das piores sensações que alguém pode ter. Aos 23 anos, Gisele, que já vivia uma carreira de sucesso, passou por isso e revela que teve até pensamento suicida e foi aconselhada pelos médicos a tomar remédios tranquilizantes. Porém, recorreu a outro método de se curar:
"Precisava tomar uma decisão, mas também estava claro que não podia continuar sofrendo de ansiedade o tempo todo. De alguma forma, embora não soubesse como, eu sabia que tinha de encontrar outro jeito. Quando saí do consultório, joguei o remédio no lixo. [...] Então rezei. Rezei pedindo clareza e orientação sobre o que deveria fazer. Pedi que me fosse mostrado o caminho. Fiz o que sempre faço quando rezo — pergunto a mesma coisa várias vezes até surgir uma resposta. Naquela noite, recebi a resposta: ioga."

#Qualidade de vida

Um dos capítulos de seu livro é dedicado a explicar que a qualidade de vida depende da qualidade dos relacionamentos com os outros e com nós mesmos. Como ser feliz vivendo bombardeados de exigências, de projeções negativas das outras pessoas e também de nossa severa autocrítica? Gisele fala sobre o problema de se  comparar com outras pessoas:
"Aprender sobre si mesmo através da interação com outras pessoas é completamente diferente de se comparar aos outros. [...] Esse tipo de comparação é inútil. Por quê? Porque todos nós temos algo especial, pois cada um de nós é único. Se você perde tempo se comparando com outra pessoa, a única coisa que está fazendo é abrindo espaço para a frustração e o fracasso. Você nunca vai se sentir bom o suficiente. [...] Eu só me comparo com uma pessoa: eu. Estou fazendo o melhor que posso no meu trabalho? Estou sendo a melhor esposa, a melhor mãe, a melhor amiga, o melhor ser humano? Como posso continuar a aprender e a melhorar?"

# A ativista Gisele

livro Aprendizados
Imagens reproduzidas do Instagram @Gisele
Desde 2004, quando visitou a Amazônia pela primeira vez, Gisele Bundchen trabalha em prol das causas socioambientais. Em 2009 foi nomeada embaixadora da boa vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Em 2017, foi convidada a falar na abertura do Rock in Rio e em um discurso emocionante sobre sonhos, anunciou a criação do Believe.Earth, projeto que ela e alguns amigos no Brasil lançaram para trazer mais consciência quanto à preservação do planeta.  Esse discurso, junto aos demais que fez em suas redes sociais, foram politicamente importantes pois o então presidente Michel Temer havia acabado de anunciar que o governo havia extinguido o status de reserva natural de uma área enorme e muito importante da Amazônia (a Renca) para abrir a região a mineradoras. Depois de muita discussão, esse decreto foi revogado. Em seu livro, Gisele relata:
"Sempre tento gerar o mínimo possível de lixo, principalmente quando se trata de garrafas e sacolas plásticas. Meu objetivo é viver com o menor impacto possível sobre o meio ambiente, e nunca jogo fora nada que possa ser reaproveitado. Faço compostagem, reutilizo ou reciclo."

#Beleza de dentro pra fora

No livro, Gisele revela detalhes de sua rotina. Ao acordar, entre 5 e 6h da manhã, ela bochecha óleo de coco (antiga técnica ayurvédica para limpar as impurezas da boca e desintoxicar dentes e gengivas), medita, se exercita, toma água morna com limão. Dá preferência a alimentos orgânicos e faz questão de fazer as refeições em família. Quanto ao uso de maquiagem, ela diz:
"Eu gosto de usar maquiagem de vez em quando, é uma ferramenta fantástica. Se não tive uma boa noite de sono, ou estou com olheiras ou uma espinha no rosto, ou ainda se quero destacar meus olhos, corretivo e rímel são meus melhores amigos. Maquiagem é algo divertido. [...] Mas não penso na maquiagem como uma obrigação. Acredito que ter uma boa aparência e uma pele bonita tem mais a ver com o que você come, com seu estilo de vida e com o modo como se sente."

É ou não é uma mulher admirável essa Gisele Bundchen?! Eu amei muito seus Aprendizados e indico a leitura do livro, pois esse conteúdo aqui foi só um resuminho. Espero que vocês tenham gostado do post. Eu agradeço se puderem compartilhar com outras amigas, pra ajudar no crescimento do blog.
Beijos, 
Vanessa Tavares.


20 de abril de 2019

Decoração de home office

escritório feminino

Olá, leitoras queridas!


O Escritório Feminino ainda não tem seu espaço físico (atualmente eu escrevo este blog no meu quarto mesmo), mas não custa nada sonhar em como eu quero que ele seja. Por isso procurei inspirações de objetos, móveis e outras coisas que estão na minha wishlist (lista de desejo). Espero que possa inspirar vocês para decorar algum cantinho do home office ou do seu local de trabalho em uma empresa (se você tiver essa autonomia). Ah, e o que eu encontrar em sites que vendam online vou deixar o link também!





escritório feminino
Lista de desejo - escritório: (o link está ao lado do item)

# Papelaria:
Kit papelaria marmorizado (aqui) e Mouse pad marmorizado (aqui);
Kit Porta canetas, clips, lixeira e outros aramados dourados (aqui);

# Móveis:
1 - Sofá rosa (aqui);
3 - Poltrona para convidado (aqui);
6 - Mesa de trabalho branca (aqui);
7 - Cadeira de trabalho (aqui);
8 - Estante para livros (aqui);

#Decoração:
Vasos de plantas;
Quadros (aqui);
2 - Tapete (aqui);
4 - Placa 'hello' dourada (aqui);
5 - Porta-retrato dourado (aqui);

Gostaram das inspirações, meninas? Tenho que confessar uma coisa pra vocês: sou formada em engenharia, mas o que de fato me fascina é a arquitetura! A decoração e design de interiores são minhas paixões. Adoro ficar no Pinterest procurando e salvando imagens. Acredito que um dia farei um curso na área.

Se você conhece alguém que também adora decorar ou que está montando um espaço de home office, compartilha esse post com ela, assim você estará ajudando esse blog a crescer e trazer cada vez mais conteúdo.
Beijos,
Vanessa Tavares.

17 de abril de 2019

Absorvendo o Tabu - Documentário Netflix

Olá, minha querida,

netflix
Você já parou pra pensar como seria sua vida hoje sem absorventes? Pra nós mulheres, o absorvente é um item essencial no nosso cotidiano e podemos encontrá-lo em farmácias e supermercados. Mas, ainda existem países em que o uso do absorvente, assim como tantas outras coisas que julgamos comuns para mulheres, ainda é uma questão velada. O documentário da Netflix - Period end of sentence ou para o português, Absorvendo o Tabu - ganhador do Oscar de melhor documentário curta-metragem em 2019, traz a realidade de Hapur, zona rural da Índia, onde o estigma da menstruação persiste.

Menstruação

Absorvendo o Tabu mostra que a menstruação, na zona rural da Índia, onde a informação ainda é de difícil acesso, é entendida pelos homens como uma 'doença que atinge mulheres'. Por isso, as mulheres em período menstrual deixam de fazer atividades corriqueiras, como ir à escola, por medo ou por vergonha de sua condição. A própria religião do local exclui as mulheres, impedindo-as de entrarem no templo se estiverem menstruadas, pois são consideradas impuras. 

Casamento e trabalho

feminismo
Na Índia, a mulher ainda não tem quase nenhuma liberdade. Não é incentivada a trabalhar e vive apenas para o lar. O documentário mostra a história da Sneha, que para enfrentar uma sociedade patriarcal e machista, quer se livrar do casamento e ser reconhecida, não pelo sobrenome de um marido, mas, por seu próprio nome. Ela estuda para a prova da Polícia de Deli e trabalha junto à cooperativa de mulheres, produzindo e vendendo absorventes de baixo custo.

Projeto de absorventes de baixo custo

feminismo
Para absorver o fluxo menstrual, as mulheres usam panos velhos (tirados de roupas ou lençóis que não servem mais) e, depois de usados, os enterram. Esse tabu em relação à menstruação, impede as mulheres de ter uma higiene adequada, o que pode levar a infecções e até a morte. Um dos propósitos do documentário Absorvendo o Tabu é mostrar o trabalho de Arunachalam Muruganantham com uma máquina para produzir absorventes de baixo custo. O 'The Pad Project' visa ampliar o número dessas máquinas, e pode ser ajudado por bem feitores de todo mundo através do site www.thepadproject.org.

Espero que você tenha gostado do resumo e recomendo fortemente que assista o documentário. É importante que tenhamos consciência dos problemas enfrentados por outras mulheres e da forma que pudermos, ajudarmos e divulgarmos projetos que auxiliem a conquista dos nossos direitos a uma vida plena.

Beijos, 
Vanessa Tavares.

- x -

Wishlist - livro de mulheres inspiradoras

comprar livros


Links:

10 de abril de 2019

Felicidade por um fio - Filme Netflix

Olá minhas queridas,

vocês já assistiram algum filme que as fizeram refletir sobre seus conceitos e julgamentos a respeito da sua própria vida, seu comportamento e sobre as coisas tem valor para você? Então, isso acontece comigo em algumas histórias do cinema, e é sobre os questionamentos despertados por uma dessas histórias - o filme da Netflix Felicidade por um fio - que vim falar com vocês.

netflix
Esse filme, baseado no livro 'Nappily Ever After' da Trisha Thomas, conta os dramas de Violet Jones (interpretado por Sanaa Lathan) com a autoaceitação de imagem. Desde criança, sua mãe, afroamericana, queria que a filha estivesse sempre impecável diante das pessoas e isso implicava alisar todos os dias seu cabelo. Além de uma obrigação, cuidar para que o cabelo  de Violet estivesse sempre liso e no lugar virou uma obsessão de sua mãe, privando-a de várias atividades infantis, como correr, suar, tomar banho de piscina com os amigos etc. Sem dúvidas essa educação a marcou pro resto da vida. O foco principal do filme é a aceitação do próprio cabelo, porém, é possível abstrair muito mais que isso!

netflix
Necessidade de manter as aparências...

Uma das grandes lições de Felicidade por um fio é que quando existe a necessidade de manter as aparências, a vida passa a representar uma grande mentira, que uma hora ou outra vai cair por terra. Tentar esconder características verdadeiras da sua personalidade é algo para além de estar enganando outras pessoas, é uma autossabotagem. No filme, Violet tenta manter as aparências em seu relacionamento amoroso e no trabalho, achando que só demonstrando a perfeição vai conseguir ser bem sucedida nos negócios e casar com seu namorado médico.



netflix
A busca pelo padrão de beleza

O filme Felicidade por um fio fala sobre a escravização causada pelos padrões de beleza. Eu não estou dizendo que você não deva melhorar algo que te incomoda no seu corpo, pelo contrário, cada uma deve fazer o que tiver vontade para se sentir bem, bonita, confiante. A questão não é essa! O problema é quando alguma coisa te impede de viver plenamente, de fazer as coisas que tem vontade, ou realizar seus sonhos, só porque você não se encaixa nos padrões de beleza. Isso tem relação com desenvolver a autoestima, o amor próprio.



netflix

A expectativa da felicidade no outro

A grande frustração que faz com que Violet mude sua forma de ver a vida, é o término do seu relacionamento com o namorado médico, cujo ser ela depositava toda a sua expectativa de felicidade. E ela não é a única! Quantas histórias nós vivenciamos ou escutamos de amigas que ficaram no fundo do poço após um fim de namoro, casamento etc, acreditando não poder viver feliz sozinha. Esta é a questão aqui: Cada uma de nós precisa se amar tanto a ponto de ser feliz sozinha! Isso não é egoísmo! Só dessa forma é possível ter um relacionamento saudável, sem depositar pressão e expectativas na outra pessoa.

Então, essas foram as minhas reflexões sobre o filme. Alguém aí ficou com vontade de assistir Felicidade por um fio? Se você já tinha assistido, comenta aqui em baixo o que achou do filme, se teve outras impressões sobre ele e quais lições ele te passou. Espero que vocês estejam gostando do conteúdo do blog! Sugestões de pautas pelo blogescritoriofeminino@gmail.com.


Beijos, 
Vanessa Tavares.

8 de abril de 2019

Grupo Somma - Juntas somos mais!

Olá meninas queridas,

Escritório Feminino não tem esse nome por acaso! Aqui no blog pretendo dar espaço para projetos empreendedores que inspirem todas nós e tragam consigo, além de lições de sororidade, gestos concretos de empoderamento feminino. Hoje é dia de apresentar pra vocês o Grupo Coletivo Somma, do qual sou participante desde setembro do ano passado. Eu tive a felicidade de ter entrevistado, via internet, a idealizadora deste projeto lindo, e a agradeço por gentilmente responder as minhas perguntas. Garanto que vocês vão amar!

Sobre a idealizadora do Somma:


Neusa Coelho é gaúcha, administradora, gestora ambiental e especialista em sistemas de gestão padrão ISO. Formou-se em sua primeira graduação em 2009, porém iniciou sua trajetória dez anos antes, em uma pequena cidade do extremo sul do RS chamada Rio Grande, onde nasceu. Desde então, complementou sua formação inicial e passou por empresas dos mais variados portes e ramos de atividade, inclusive multinacionais. Atuou na construção de plataformas de petróleo e descobriu a paixão pela área de energias renováveis em 2011. Tornou-se figura reconhecida na implantação de sistemas de gestão em construções de grandes projetos de energia eólica por todo o Brasil, trabalhou em 12 estados brasileiros e no país vizinho Uruguai. Paralelo às suas atividades principais foi docente em entidades que formam jovens profissionais. Contudo, o que realmente faz seus olhos brilharem é o trabalho voluntário, que realiza desde os quatorze anos de idade. Filiou-se à Cruz Vermelha Brasileira, a Parceiros Voluntários e a Junior Achievement, onde atua ainda hoje. Mudou sua própria realidade e realizou seus sonhos através do seu trabalho em um ambiente predominantemente masculino. E por sempre acreditar na competência profissional feminina, defender a inserção das mulheres no meio empresarial e despertar nas mesmas a autoconfiança, em 2016 criou o Grupo Coletivo Somma.


Escritório Feminino - O que é o Somma?
Neusa Coelho -  O objetivo inicial do primeiro grupo em um aplicativo de mensagens instantâneas era manter unidas e motivadas 6 amigas que estavam desempregadas após o término de uma obra. Hoje o cenário e o objetivo foram ampliados de uma forma incrível.
A razão da existência do Coletivo Somma é difundir entre as mulheres, ferramentas para mudar sua realidade profissional e consequentemente, refletir os resultados positivos em sua vida pessoal. Promove o empoderamento profissional feminino de forma coletiva, onde todas se apoiam, trocam experiências, dicas e informações sobre o mercado de trabalho e ainda divulgam vagas nas mais diversas áreas em todo país.
O alicerce do Coletivo Somma são a educação, a formação, a informação e o desenvolvimento profissional, como aliados das mulheres na busca pela mudança de sua realidade. O Coletivo Somma defende a igualdade entre gêneros e que homens e mulheres devem ser tratados de forma justa na esfera profissional. Através do Coletivo Somma, as mulheres fortalecem seu poder de expressar e defender seu perfil profissional, fortificam sua identidade, aprimoram sua autoestima, ampliam sua autoconfiança e, principalmente, exercem controle sobre suas ações no âmbito profissional.

Imagem via Instagram @sommamulheres
Escritório Feminino - Quais as ações do Grupo Somma?
Neusa Coelho - O Coletivo Somma conta com um sistema de cadastro para controle de acesso ao grupo, garantindo a segurança das integrantes e disponibiliza para recrutadoras um banco de currículos com perfis cadastrados. Reúne documentos e artigos relevantes em uma pasta compartilhada e estabelece uma agenda semanal com captação de novas integrantes, discussões sobre temas relevantes para o universo profissional feminino, atividades de interação, vídeos com dicas sobre currículo, Linkedin, entrevista, network, empregabilidade, e outros temas importantes para as mulheres.

Escritório Feminino - Qual a abrangência atual do Grupo Somma?
Neusa Coelho - Com indicações frequentes de novas integrantes, o grupo se multiplicou e hoje o Coletivo Somma marca presença nas redes sociais, conta com mais de 1200 integrantes divididas em 24 grupos. É mantida uma página no Instagram e também é possível constatar pelos comentários que recebem no Linkedin que o Coletivo tem muita credibilidade e reconhecimento.
Atualmente os grupos são divididos por área:

  • ADM, Gestão, Finanças, Contábeis, Fiscal, Compras. 
  • Direito. 
  • Comunicação, Marketing, Propaganda e Publicidade. 
  • Qualidade, Meio Ambiente, Agronomia, Saneamento, Pesca. 
  • Recursos Humanos, Psicologia, Gestão de Pessoas, Coach. 
  • Saúde, Nutrição e Alimentos. 
  • Segurança do Trabalho. 
  • Civil, Edificações e Arquitetura. 
  • Elétrica, Telecom, Automação, Eletrônica, Energia, Mecatrônica e Eletrotécnica. 
  • Mecânica, Pintura, Solda, Montagem e Química. 
  • Produção, Logística, Planejamento, Transporte, Armazenagem. 
  • Vendas e Comercial. 

Também estão disponíveis grupos dos seguintes estados: Bahia, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Paraíba, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Pará, Maranhão, Piauí e Amazonas.

Que projeto espetacular, heim meninas?! E a gestão do grupo e de seus serviços é um trabalho voluntário, realizado exclusivamente pela sua idealizadora Neusa Coelho, sem retorno financeiro por sua dedicação. Por isso, só temos a agradecer e ajudar no que for possível a divulgar o trabalho dela! Você se interessou e quer Sommar? Basta se conectar à Neusa Coelho pelo Linkedin e aguardar contato.

- x -

Se você gostou deste texto, compartilha com suas amigas para ajudar o crescimento do blog! E se você conhece outros projetos como esse ou tem sugestões de pautas, me manda um e-mail através do blogescritoriofeminino@gmail.com. Eu vou adorar receber!


Beijos,
Vanessa Tavares.

1 de abril de 2019

Resenha do livro: Me Poupe! (Nathalia Arcuri)

Olá lindonas,

me poupe!recentemente terminei a leitura do livro da Nathalia Arcuri, o Me Poupe!, que por sinal tem o mesmo nome de seu canal no Youtube. Como eu já esperava, o livro possui uma linguagem muito acessível e trata o, aparentemente complicado, mundo das finanças pessoais de forma simples e descontraída, características de sua autora.



Nos '10 passos para nunca mais faltar dinheiro no seu bolso', Nathalia ensina o leitor a enxergar o seu atual estado financeiro e as coisas desnecessárias com o que ele anda gastando. O Me poupe! também mostra a importância de se ter metas e comprometimento com seus objetivos, para que nenhuma estratégia de marketing (aquelas ciladas que enchem os olhos do consumidor, do tipo "o dobro da metade do preço") ou mesmo as pessoas próximas que, por falta de informação, atrapalham a sua alavancada financeira. Quem nunca teve aquela amiga que te incentivou a comprar umas blusinhas no cartão alegando que "você merece"?! Tadinha, ela tinha boa vontade, mas aquilo não era prioridade na sua vida. O que você merece mesmo é ter liberdade financeira!


finanças
Se hoje não sobra dinheiro pra você no final do mês, o Me poupe! mostra que só há duas formas de reverter essa situação: a primeira já foi dita, eliminando os gastos desnecessários; e a segunda é gerando dinheiro novo. Mas como assim? Existem muitas formas de ganhar um extra: vender aquelas coisas que você comprou e não usa, prestar serviços em que você tem habilidade ou até mesmo pedir um aumento no trabalho (neste último caso, cuidado! Você precisa fazer por onde merecer o aumento, para não levar um pé na bunda do patrão).


Eliminados os gastos sem necessidade e tendo o dinheiro poupado para o que realmente importa, Arcuri mostra as diferentes formas de fazer com que o dinheiro trabalhe sozinho. Para isso, ela explica termos como: Taxa Selic, CDI, IPCA, FGC e outros tantos que fazem parte do universo dos investimentos. O Me Poupe! ainda mostra que a poupança bancária é um dos piores tipo de negócios para quem quer alavancar, pois o rendimento é muito baixo se comparado a outros investimentos igualmente seguros.

me poupe!
É um livro indicado especialmente ao público feminino, pois infelizmente ainda há um paradigma social de que mulheres são financeiramente dependente do marido e esse é um dos grandes responsáveis por elas sofrerem com relacionamentos abusivos. Aprendendo a poupar e investir, teremos cada vez mais mulheres empoderadas e com domínio sobre suas próprias vidas!


Ficou animada pra ler? O link para comprar o livro está logo abaixo. Sabe de mais alguém que precisa do conteúdo desse livro? Compartilhe o blog com suas amigas e ajude-o a crescer!

Beijos,
Vanessa Tavares